Karzai e Abdullah declaram vitória

Ex-chanceler denuncia fraudes e comissão eleitoral pede paciência

Lourival Sant?Anna, KANDAHAR, AFEGANISTÃO, O Estadao de S.Paulo

22 de agosto de 2009 | 00h00

Tanto o presidente Hamid Karzai quanto seu principal rival, o ex-chanceler Abdullah Abdullah, declararam ontem estar na dianteira da apuração dos votos da eleição presidencial de quinta-feira no Afeganistão. As especulações são alimentadas pela demora na divulgação da primeira contagem parcial, prevista para dentro de dois a três dias."Até onde minha equipe de campanha sabe , estou na frente, apesar das fraudes que ocorreram em algumas partes do país", disse Abdullah à agência Associated Press. Houve denúncias de que funcionários do governo violaram os lacres das urnas e colocaram votos para Karzai. A oposição queixou-se também de que em algumas seções seus fiscais foram impedidos de inspecionar as urnas.Abdullah reconheceu ser "provável" que nem ele e nem Karzai recebam mais de metade dos votos, o que os levaria a um segundo turno dentro de seis semanas. A última e mais completa pesquisa, do Instituto Republicano Independente, organização apartidária americana, confere a Karzai 44% votos e a Abdullah, 25%.O porta-voz de Karzai, Waheed Omar, afirmou que o presidente está "bem à frente", segundo informações que recebeu sobre a contagem dos votos. "Nossa previsão é a de que a eleição não irá a segundo turno", disse Omar. O diretor da Comissão Eleitoral Independente (CEI), Daoud Ali Najafi, criticou a atitude dos candidatos. "Minha recomendação é a de que todos os candidatos sejam pacientes e esperem até que os resultados passem pelos canais apropriados e os resultados sejam anunciados", pediu Najafi. Funcionários do CEI contam as cédulas nos centros de votação em todo o país e então enviam os dados a Cabul, onde eles estão sendo tabulados e verificados.OBAMAO presidente americano, Barack Obama, felicitou ontem o povo afegão por participar das eleições, apesar da intimidação do Taleban. Mas ele advertiu que mais dias difíceis estão por vir no Afeganistão. "É um importante passo nos esforços do povo afegão para controlar seu futuro, mesmo quando violentos extremistas tentam bloquear seu caminho", disse Obama na Casa Branca.Com relação ao vencedor das eleições presidenciais, Obama disse que os EUA continuarão a trabalhar com os afegãos para estabilizar o país. "Nosso objetivo é claro: desmantelar e derrotar a Al-Qaeda e seus aliados extremistas", disse. "Esse objetivo será alcançado e nossos soldados voltarão para casa, enquanto os afegão continuam a fortalecer sua capacidade e assumir a responsabilidade por seu futuro."A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) manifestou satisfação com a jornada eleitoral, na qual a maioria das seções abriu, apesar dos ataques que mataram 26 civis e membros das forças de segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.