Karzai envia equipe a Guantánamo para checar afegãos

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse que enviará uma equipe à prisão instalada pelo governo americano em Guantánamo (Cuba), para checar as condições em que são mantidos dezenas de afegãos detidos como suspeitos de terem vínculos com a rede Al-Qaeda. Karzai tomou a decisão, disse seu porta-voz Sayed Fazi Akbar, após reunir-se com três afegãos libertados de Guantánamo há alguns dias, após três meses de prisão, por terem sido considerados inocentes: um deles diz ter 105 anos, o outro 90 e o terceiro, 34. Com eles foi libertado um quarto homem paquistanês, de 60 anos. "Karzai se entristeceu profundamente ao ver que eles (os militares americanos) realmente aprisionaram um homem de 105 anos", disse Akbar. "Os três afirmam ser inocentes, e o mais velho deles afirmou que ( em Guantánamo) estão detidos outros idosos como eles, e outros inocentes", acrescentou. "Por isso, Karzai considerou necessário enviar uma equipe para verificar quem está preso e para pedir a libertação de pessoas como estas, e de outros inocentes. Esta equipe irá logo", acrescentou o porta-voz do presidente afegão. Em Guantánamo estão atualmente presos cerca de 600 homens. As formas de detenção e as condições da prisão têm provocado polêmica em todo o mundo.Nenhum dos detidos foi acusado formalmente de nenhum delito. O Pentágono anunciou, nos últimos dias, que está prevista para breve a liberação de muitas pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.