Karzai parabeniza e Taleban condena Nobel a Obama

A vitória do Prêmio Nobel da Paz pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nesta manhã causou repercussões diversas no mundo. O líder afegão, Hamid Karzai, disse por meio de um porta-voz que o presidente norte-americano era a pessoa "apropriada" para levar o Nobel. O grupo radical islâmico Taleban condenou a escolha. "Nós condenamos o prêmio da paz deste ano como injusto", afirmou, por telefone, um porta-voz, alegando que Obama "não deu um único passo rumo à paz no Afeganistão". O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse que a distinção marca "o retorno da América aos corações das pessoas do mundo". O Irã afirmou que não estava "descontente" com a concessão.

AE, Agencia Estado

09 de outubro de 2009 | 09h23

Um porta-voz de Karzai parabenizou Obama pelo prêmio. "Seu trabalho duro e sua nova visão das relações globais, seu desejo e seus esforços para criar relações amigáveis e boas em nível global e a paz global fazem dele uma escolha adequada para o Prêmio Nobel da Paz."

O Irã, rival antigo dos EUA, declarou que "nós não estamos descontentes e esperamos que, ao receber o prêmio, ele tome passos práticos para remover a injustiça do mundo", afirmou um porta-voz do presidente Mahmoud Ahmadinejad. "Esperamos que isso dê a ele um incentivo para caminhar no sentido de trazer a justiça à ordem mundial."

''Lisonjeado''

Um funcionário da administração Obama disse que o presidente ficou "lisonjeado" com o prêmio. Segundo a fonte, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, acordou Obama às 6 horas para informá-lo sobre o fato. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
NobelObamaKarzaiTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.