Karzai põe outro irmão na chefia de Kandahar

Após funeral de Ahmed, assassinado na terça-feira, presidente afegão se reúne com líderes tribais e escolhe outro irmão como líder político local

, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2011 | 00h00

CABUL - O presidente dos Afeganistão, Hamid Karzai, chorou ontem no enterro do meio irmão Ahmed Wali Karzai, em Kandahar, mas agiu rapidamente para nomear um outro irmão para seu lugar e reforçar o domínio político em sua terra natal. Ahmed, presidente do conselho provincial de Kandahar, foi assassinado na terça-feira por um segurança.

Ministros, governadores, chefes tribais e milhares de pessoas acompanharam o funeral no cemitério de Karz, que guarda os restos do patriarca da família Karzai, um líder proeminente da tribo populzai, assassinado por militantes do Taleban em 1999.

Após o funeral, Karzai reuniu-se com autoridades do sul do Afeganistão e pediu que aceitassem seu outro irmão, Shah Wali Karzai, como chefe do conselho provincial de Kandahar. "Se quiserem um Afeganistão desenvolvido e próspero, terão de aceitar o sacrifício", disse.

O presidente lembrou o nome de autoridades importantes, como o do general Daoud Daoud, chefe da segurança das províncias do norte, morto recentemente. Seguindo a tradição pashtun, os líderes reunidos enrolaram um turbante de seda na cabeça de Shah Wali, simbolizando que ele foi aceito pelos anciãos.

Em um gesto de união entre as tribos do sul, Karzai chamou em primeiro lugar Gul Agha Shirzai - ex-governador de Kandahar e conhecido rival do irmão assassinado - para enrolar a faixa em torno do novo líder. Em seguida, chamou Hajji Agha Lalai e Hajji Karimullah Naqibi, líderes da tribo alikozai, cujos membros culparam no passado Ahmed por uma série de assassinatos.

"Nós todos concordamos", disse Hajji Hafizullah, um ancião da tribo. "Essa é uma sociedade tribal. Sempre que alguém morre, seu irmão ou filho fica com o cargo. Todos os ministros estavam lá e ele chamou Shirzai primeiro para mostrar que estamos todos unidos."

Segundo ele, Karzai ainda terá desafios a enfrentar no sul. "Ahmed desempenhava um papel importante para o presidente. Tinha contato estreito com líderes locais." Shah Wali Karzai passou boa parte da vida exilado nos EUA. Sua família ainda vive no exterior. Ele voltou ao Afeganistão em 2001 para trabalhar com Karzai no palácio presidencial, antes de se mudar para Kandahar para administrar um empreendimento imobiliário de outro irmão, Mahmud Karzai.

Instabilidade. Shah e Ahmed viviam juntos em Kandahar e a casa da família deve continuar sendo o centro nevrálgico da política no sul do país. No entanto, a falta de experiência política de Shah o torna diferente do irmão e levanta dúvidas sobre sua capacidade de administrar as complicadas disputas tribais de Kandahar. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.