John Minchillo/AP
John Minchillo/AP

Kasich desiste da corrida presidencial e Trump é o único pré-candidato republicano

Governador de Ohio cancelou um ato de campanha que havia previsto em Washington, e anunciou que se dirigirá aos meios de comunicação de seu Estado, quando deve anunciar oficialmente sua saída da disputa.

O Estado de S. Paulo

04 Maio 2016 | 13h53

WASHINGTON - O governador de Ohio, o republicano John Kasich, deve anunciar nesta quarta-feira, 4, oficialmente sua saída da corrida presidencial depois da arrasadora vitória de terça-feira do magnata Donald Trump nas primárias de Indiana, o que provocou a desistência imediata de seu maior rival, o senador Ted Cruz.

Segundo meios de comunicação americanos, que citam fontes da campanha do governador, a saída de Kasich será anunciada nesta quarta-feira e deixa o caminho livre para Trump ser o indicado republicano à Casa Branca, algo que o próprio presidente do Comitê Nacional do partido, Reince Priebus, reconheceu após os resultados de terça-feira.

O Governador de Ohio cancelou um ato de campanha que havia previsto em Washington, e anunciou que se dirigirá mais tarde aos meios de comunicação de seu Estado, quando deve confirmar sua saída da disputa.

Após a derrota, Cruz considerou que já não existia um "caminho viável" para ser o indicado pelo Partido Republicano nas eleições de novembro. "Os eleitores elegeram outro caminho, e assim, com o coração encolhido, mas com otimismo sem limites para o futuro a longo prazo de nossa nação, estamos suspendendo nossa campanha", disse o senador a seus seguidores em Indianápolis.

No entanto, o governador por Ohio havia advertido que seguiria na disputa sem se importar com os resultados obtidos nessa primária, o que reiterou por meio de sua conta no Twitter após a retirada de Cruz. "Nossa estratégia foi e continua sendo uma, que consiste em ganhar a indicação em uma convenção aberta", garantiu sua campanha.

Fontes da equipe do governador, que só ganhou as primárias de seu Estado, indicaram à emissora CNN que essa era sua ideia, até que nesta quarta-feira, a caminho para um evento de arrecadação na capital do país, mudou de opinião.

Cruz e Kasich decidiram unir esforços há algumas semanas para conter as aspirações de Trump, tentando impedir que o magnata conseguisse os 1.237 delegados necessários para a indicação automática e colocar assim a escolha do candidato republicano na convenção aberta, onde teriam chances contra o magnata.

A Convenção Nacional Republicana, que será realizada em julho em Cleveland, em Ohio, designará oficialmente o candidato presidencial. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.