Kate, a figura mais trágica e triste na saga da filha

Kate McCann tem um semblante triste e um caráter reservado. Seu jeito de se agarrar desesperadamente ao gatinho de pelúcia tornou-se símbolo de seu drama. Kate sempre pareceu a figura mais trágica nessa saga, que começou quando Madeleine desapareceu sem deixar vestígios. Nos primeiros dias Gerry, seu marido, falava com autoridade aos jornalistas. Kate mantinha-se ao lado, usando toda sua energia para não sucumbir e chorar. Quando falava era sem a evidente autoconfiança de Gerry.Magra, e cada vez mais franzina, essa médica clínica geral parecia angustiada, esgotada, perdida. Em seu rosto quase nunca se viu sinal de esperança. Somente na suas idas diárias à creche com os gêmeos de 2 anos de idade, Amelie e Sean, ela demonstrava alguma disposição. A impressão era de que os gêmeos é que a mantinham de pé, juntamente com o forte apoio da sua família e as caminhadas que costumava fazer ao lado do marido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.