Efe
Efe

Keiko Fujimori jura 'por Deus' que não concederá indulto ao pai

Alberto Fujimore cumpre pena de 25 anos de prisão por violação dos direitos humanos durante período em que foi presidente, na década de 1990

Efe,

19 de abril de 2011 | 03h23

LIMA - A presidenciável peruana Keiko Fujimori, da coligação Fuerza 2011, jurou "por Deus" nesta segunda-feira, 18, que, se ganhar as eleições, não concederá indulto ao pai, Alberto Fujimori, que cumpre pena de 25 anos de prisão por violação dos direitos humanos durante o período em que foi presidente, na década de 1990.

 

"Eu repeti em várias ocasiões. Não é minha intenção nem a intenção da família indultar Alberto Fujimori. Ratifico como disse em várias oportunidades: Juro por Deus que não vou indultá-lo", assinalou a parlamentar, após visitar a boxeadora peruana Kina Malpartida.

 

Keiko, que enfrenta o candidato Ollanta Humala no segundo turno das eleições presidenciais peruanas no dia 5 de junho, já se mostrou crítica ao governo do pai quando exerceu o papel de primeira-dama.

 

"Condeno os erros que ocorreram no governo de meu pai, assim como louvo os atos positivos. Acho que devemos olhar o passado com objetividade, mas sem rancores", destacou a candidata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.