John F. Kennedy Library Foundation/U.S. National Archives/Handout via Reuters
John F. Kennedy Library Foundation/U.S. National Archives/Handout via Reuters

Kennedy versus Nixon: 60 anos do primeiro grande debate político americano na TV

Evento foi acompanhado por 70 milhões de espectadores, a maior audiência de um programa político já registrada na história americana

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2020 | 07h00

O presidente republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden se enfrentam nesta terça-feira, 29, em um debate presidencial televisionado, uma tradição de 60 anos. O primeiro "Grande Debate" da TV americana foi protagonizado pelo então vice-presidente Richard Nixon, candidato republicano à presidência, e o senador democrata John Kennedy

O evento foi acompanhado por 70 milhões de espectadores, a maior audiência de um programa político já registrada na história americana. Seis importantes mitos marcaram o embate histórico, segundo lembrou Ted Sorensen, ex-assessor e conselheiro do presidente Kennedy, em um texto publicado pelo New York Times em 2010. No texto, ele relembra o episódio como alguém que ajudou Kennedy a se preparar para o embate:  

1. "Nixon venceu no rádio", pois os ouvintes não puderam ver sua aparência exausta e tensa nem seu rosto suado e seu olhar nervoso. Na verdade, os que acompanhavam pelo rádio eram um número pequeno demais para conferir significado a uma "vitória". Mesmo assim, os ouvintes puderam perceber a surpreendente relutância de Nixon em relação a muitos temas.

2. "O debate não mudou um número suficiente de intenções de voto para fazer a diferença." Ao enfatizar que a questão era qual ponto de vista e qual partido o eleitor gostaria de ver na liderança do país, Kennedy fortaleceu sua base entre os democratas, que tinham dúvidas sobre sua pouca idade e religião, e aumentou sua aceitação entre os independentes, que pouco sabiam a seu respeito. No dia seguinte, em Ohio, sentimos na pele o resultado quando o senador democrata conservador Frank Lausche decidiu participar de uma carreata que atraiu um número surpreendente de eleitores. Kennedy não ganhou a eleição na noite do debate, mas, numa disputa acirrada, seu desempenho fez diferença.

3. "Kennedy estava nervoso ao enfrentar Nixon", muito mais experiente, que havia vencido, em debate, o líder soviético Nikita Khruchev. Na verdade, Kennedy chegou em Chicago na véspera e passou a manhã estudando as perguntas enquanto tomava sol no telhado do hotel (diferentemente do que foi dito, o bronzeado dele na TV não era da campanha na Califórnia). Ele estava relaxado a ponto de tirar um cochilo antes do encontro. Quem estava nervoso? Nixon pareceu perturbado pela expressão confiante de Kennedy.

4. "Debates entre candidatos à presidência são um dos pilares da democracia." É verdade que eles podem aumentar o interesse dos eleitores, conscientizá-los e levá-los às urnas em maior número. Mas isto é tudo o que podemos esperar dos debates. Candidatos não tomam decisões importantes em respostas de dois minutos e meio.

5. "Os quatro debates sinalizaram uma mudança na hostilidade à oferta de tempo gratuito para os candidatos." Apesar de as emissoras terem continuado a realizar debates presidenciais, elas ainda exigem que as campanhas arrecadem imensas quantias para apresentar aos eleitores seus candidatos e plataformas de governo na TV, facilitando a corrupção que mancha o sistema político americano.

6. "Kennedy ganhou com base na sua aparência e na maneira de falar." Na verdade, houve muito mais substância naquele primeiro debate do que naquilo que hoje aceitamos como debate político em nossa cultura cada vez mais comercializada. Apesar de, na época, ter parecido um embate entre duas visões opostas, não havia vastas diferenças entre os dois. Kennedy provavelmente teria espaço no Partido Democrata de hoje, mas é improvável que Nixon recebesse as boas-vindas do movimento Tea Party. / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.