Kentucky proíbe protestos em funerais de soldados americanos

O estado americano de Kentucky aprovou uma lei para afastar manifestantes dos velórios de soldados americanos mortos na guerra do Iraque. Segundo a nova lei, aprovada na quinta-feira por unanimidade no Senado local, manifestantes terão que ficar no mínimo a 91 metros de distância de um funeral ou memorial. Os legisladores estão tentando fazer com que a lei seja assinada imediatamente e entre em vigor antes de um protesto esperado em um memorial na próxima semana. Membros da Igreja Batista de Westboro em Topeka, Kansas, liderados pelo reverendo Fred Phelps, percorreram os Estados Unidos protestando em funerais militares, carregando placas com dizeres : "Graças a Deus pelos IEDs", referindo-se aos explosivos improvisados usados por insurgente iraquianos.Phelps e sua igreja, formada em sua maioria por membros da família, afirmam que as tropas americanas estão sendo mortas no Iraque como uma vingança de Deus por proteger um país que tolera homossexuais. A igreja não é afiliada a uma grande congregação. Uma legislação similar está sendo considerada em Illinois, Indiana, Iowa, Missouri, Nebraska e West Virginia, todas em contrapartida à ação do reverendo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.