Kerry acusa Bush de levar os EUA à "guerra errada"

O candidato democrata à presidência dos EUA, John Kerry, procurou manter hoje a ofensiva na campanha, voltando a acusar o presidente George W. Bush de levar o país à "guerra errada" no Iraque e deixar a conta para os americanos pagarem. Bush revidou acusando Kerry de mudar novamente de posição e apropriar-se do discurso do ex-aspirante democrata à presidência Howard Dean. "Ele (Kerry) acordou hoje com outra nova posição, e esta nem é dele", disse Bush em Kansas City. "Creio que este país quer uma liderança consistente."Kerry, que no Senado votou a favor da autorização para a guerra, afirmou que o conflito no Golfo é "a mais catastrófica" das escolhas erradas de Bush. "Até agora, o custo (econômico) é de US$ 200 bilhões, e está subindo. São US$ 200 bilhões que não estamos investindo em saúde na América, em escolas na América, em medicamentos para idosos." Kerry também usou como munição uma estimativa divulgada pelo Escritório de Orçamento do Congresso, segundo a qual o déficit federal atingirá, neste ano, a cifra recorde de US$ 422 bilhões. A campanha de Bush destacou que esse total é US$ 55 bilhões menor que o previsto, o que seria resultado de um crescimento econômico impulsionado pelo alívio fiscal promovido por Bush. Mas isso não convenceu Kerry. "Só George W. Bush poderia celebrar um déficit orçamentário recorde e a perda de 1,6 milhão de postos de trabalho", disse o democrata. "O W significa wrong (errado) - a direção errada para a América."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.