Kerry acusa Bush de usar difamação para distrair o público

Ao mesmo tempo em que as listas de mais vendidos indicam o sucesso, nos EUA, do livro Unfit for Command (Inadequado para o Comando) - que questiona o heroísmo do candidato democrata durante a Guerra do Vietnã -, o senador John Kerry acusou a campanha do presidente americano, George W. Bush, de promover ataques pessoais para lançar uma cortina de fumaça sobre os problemas do país, como desemprego, saúde pública e guerra no Iraque."Não se pode liderar os EUA enganando o povo americano", disse Kerry, que nos últimos dias tem se dedicado a defender-se das acusações de que mentiu sobre suas ações no Vietnã, pelas quais conquistou cinco condecorações por bravura."Eles não têm planos, carecem de uma visão positiva e não compreendem uma verdade urgente e inegável: que um país poderoso começa em casa", discursou Kerry em Nova York, a apenas alguns quarteirões do local onde o Partido Republicano realiza sua convenção nacional na semana que vem."Em cada etapa de seu mandato, George W. Bush tem posto os interesses mesquinhos de poucos acima dos interesses da maioria dos americanos", prosseguiu Kerry, mantendo-se na ofensiva. Segundo analistas americanos, o discurso de Kerry visa a retomar o foco propositivo de sua campanha, depois de ter sido forçado a investir uma parte significativa de seu tempo e de seus recursos no esforço para neutralizar a onda de acusações pessoais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.