Brendan Smialowski/AFP
Brendan Smialowski/AFP

Kerry adverte que haverá ‘repercussões’ se Assad não respeitar cessar-fogo na Síria

Secretário de Estado americano afirmou que se o presidente sírio não aderir ao acordo, uma das consequências poderá ser a ‘destruição total da cessação das hostilidades e a volta da guerra’

O Estado de S. Paulo

04 Maio 2016 | 15h30

WASHINGTON - O secretário de Estado americano, John Kerry, ameaçou na terça-feira o presidente sírio, Bashar Assad, de "repercussões" se seu regime não respeitar o cessar-fogo negociado por Washington e Moscou, em particular para a cidade de Alepo, maior cidade da Síria.

"Se Assad não aderir a isto, claramente haverá repercussões e uma delas poderia ser a destruição total da cessação das hostilidades e a volta da guerra", disse Kerry à imprensa no Departamento de Estado.

"Não penso que a Rússia queira isto. Não penso que o regime de Assad possa desfrutar disto", acrescentou Kerry ao retornar de Genebra, onde tentou salvar a cessação de hostilidades entre o regime e a oposição em todo o território sírio.

Os enfrentamentos se intensificaram nos últimos dez dias e violaram o cessar-fogo imposto pelos EUA e pela Rússia, que estava em vigor desde o dia 27 de fevereiro.

O secretário de Estado é um dos impulsionadores do processo diplomático internacional e político sírio, que tenta colocar um fim à guerra no país. Recentemente, fez alusão a um eventual "plano B" para a Síria caso fracasse o diálogo diplomático e político.

"Neste momento, estamos trabalhando para tentar implantar isto (cessar-fogo), com a finalidade de proteger a integridade de Alepo", disse o secretário de Estado, em alusão a um projeto de nova trégua, atualmente negociada entre EUA e Rússia.

Moscou anunciou na terça-feira esperar que se respeite um cessar-fogo "nas próximas horas" em Alepo, cenário de novos combates e intensos bombardeios. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.