REUTERS/JUSTIN TALLIS/Pool
REUTERS/JUSTIN TALLIS/Pool

Kerry ainda acredita em novo cessar-fogo na Síria

Após reunião com chanceleres europeus, secretário de Estado dos Estados Unidos afirma que acordo pode sair ainda esta semana

O Estado de S. Paulo

16 de outubro de 2016 | 20h40

LONDRES - O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, afirmou neste domingo, 16, após se reunir com chanceleres europeus em Londres, que ele ainda tem esperanças de chegar a um novo cessar-fogo na Síria ainda nesta semana. “Há trabalho a ser feito nos próximos dois que poderia levar, pelo menos assim esperamos, a abrir as portas para um novo cessar-fogo. Mas será difícil”, disse Kerry, em entrevista coletiva ao lado do chanceler da Grã-Bretanha, Boris Johnson.

Após a reunião, Kerry destacou que os aliados ocidentais pretendem impor novas sanções econômicas contra a Síria e a Rússia em razão das ações em Alepo - declarações muito parecidas com às dadas neste domingo pela chanceler da Alemanha, Angela Merkel. “Nós planejamos sanções suplementares e queremos ser claros, o presidente (Barack) Obama não descartou nenhuma opção no momento”, disse Kerry.

O ministro das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, afirmou que durante a reunião em Londres foram propostas “várias medidas”, incluindo procedimentos suplementares contra o regime de Damasco e todos aqueles que o apoiam. “Estas medidas afetarão significativamente os autores desses crimes”, alertou o chanceler britânico.

Por fim, Kerry minimizou a possibilidade do uso de forças militares, acrescentando que seu dever era esgotar todas as soluções diplomáticas possíveis. “Conversamos sobre todos os mecanismos à nossa disposição, mas não vejo nenhum interesse em ir à guerra em nenhuma parte da Europa.”

Esforço diplomático. Em Londres, Kerry se encontrou também com os ministros das Relações Exteriores da França, Jean-Marc Ayrault, e da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier. No sábado, o secretário de Estado dos EUA já havia se reunido em Lausanne, na Suíça, com os chanceleres de sete países envolvidos na guerra civil na Síria: Irã, Iraque, Arábia Saudita, Turquia, Catar, Jordânia e Egito.

“Tivemos uma discussão muito honesta com russos e iranianos sobre como podemos exatamente chegar ao acordo. Minha missão é esgotar todas as possibilidades de uma solução pacífica”, declarou Kerry. O encontro em Lausanne, no entanto, terminou sem nenhum comunicado oficial conjunto dos países envolvidos. / AFP, REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.