Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Kerry diz que programas de espionagem dos EUA protegem os cidadãos

Em visita ao Brasil, secretário de Estado americano afirma que coleta de informações é permitida por lei do país

Ricardo Della Coletta e Rafael Moraes Moura, Agência Estado,

13 de agosto de 2013 | 16h30

BRASÍLIA - Sem comentar "detalhes operacionais" do programa de espionagem promovido pela Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês), o secretário de Estado americano, John Kerry, defendeu a coleta de informações pela inteligência de seu país. "Os EUA adotam a inteligência, assim como todas as nações, para proteger os nossos cidadãos."

Em visita ao Brasil, Kerry falou sobre as denúncias divulgadas com base em informações vazadas pelo ex-analista da NSA Edward Snowden, segundo as quais os americanos monitoram telefonemas e uso da internet, inclusive de cidadãos brasileiros. "Estamos convencidos que a nossa coleta de informação ajudou a proteger a nossa nação de uma série de ameaças e que também protegeu brasileiros", disse o chefe da diplomacia americana.

Segundo Kerry, a atuação dos americanos está baseada em lei aprovada após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 e conta com a supervisão do judiciário. O secretário de Estado também disse que os Estados Unidos vão atender aos questionamentos levantados pelo governo brasileiro sobre os métodos para a obtenção das informações.

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, confirmou que o País pediu esclarecimentos sobre o caso e pediu transparência dos EUA. "Consideramos que os EUA não encontrarão melhor parceiro no combate ao terrorismo, na medida em que elas (informações) sejam levadas a cabo de forma transparente."

 
Tudo o que sabemos sobre:
John KerryEUAespionagemBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.