Kerry emite forte alerta contra governo da Síria

O secretário de Estado americano, John Kerry, emitiu um forte alerta nesta terça-feira ao governo da Síria, dizendo que uma nova ajuda será dada às forças de oposição se o regime do presidente Bashar Assad decidir recuar das próximas negociações destinadas a encerrar a guerra que já dura dois anos no país.

Agência Estado

14 de maio de 2013 | 15h33

Kerry afirmou que tem toda a expectativa de que ambos os lados no conflito, que já deixou mais de 70 mil mortos, vão participar de uma conferência internacional para negociar uma transição pacífica na Síria. A conferência, que, segundo o secretário americano, deve ocorrer no começo de junho, é importante porque será acompanhada tanto pelos Estados Unidos quanto pela Rússia - as duas nações estão em lados opostos no conflito sírio.

Falando em Estocolmo, capital da Suécia, Kerry rejeitou as alegações de que funcionários do regime de Assad vão se recusar a participação da conferência. Mais cedo nesta terça-feira, o ministro de Informações da Síria, Omran al-Zoubi, disse que o regime quer mais detalhes sobre a iniciativa antes de decidir se vai participar ou não.

"Se ele decidir não negociar, será mais um erro de cálculo do presidente Assad. Agora, eu não acredito que esse seja o caso neste momento", afirmou Kerry a jornalistas em Estocolmo. "Se Assad decidir errar o cálculo novamente, como ele errou no cálculo do futuro do próprio país ao longo dos últimos anos, é óbvio que a oposição vai receber apoio adicional e infelizmente a violência não vai acabar." As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASíriaKerry

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.