Kerry pede moderação a Hong Kong e China não quer interferência

Secretário de Estado reuniu-se em Washington com chanceler chinês, a autoridade de cargo mais elevado a comentar sobre os protestos no território semiautônomo

O ESTADO DE S. PAULO

01 de outubro de 2014 | 15h59

WASHINGTON - O secretário de Estado americano, John Kerry, pediu nesta quarta-feira, 1º,  moderação a Hong Kong com os manifestantes pró-democracia, enquanto seu homólogo chinês, Wang Yi, disse que os países não devem interferir nos assuntos internos da China. Os dois reuniram-se em Washington. 

"O governo chinês tem deixado a sua posição muito clara. Os assuntos de Hong Kong são assuntos internos da China. Todos os países devem respeitar a soberania da China", disse o ministro das Relações Exteriores chinês, antes da reunião com Kerry, no Departamento de Estado.

Wang é a autoridade de cargo mais elevado a comentar sobre os protestos de Hong Kong. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.