Kerry quer que Rússia apoie libertação de observadores

O secretário de Estado norte americano, John Kerry, está pressionando o governo russo para que o país apoie os esforços para a libertação dos observadores internacionais detidos por forças pró-Rússia no leste da Ucrânia.

Agência Estado

26 de abril de 2014 | 17h25

Kerry disse ao chanceler russo, Sergey Lavrov, em telefonema neste sábado, que os Estados Unidos também estão preocupados com as ações da Rússia, que estão "minando a estabilidade, segurança e unidade" na Ucrânia.

De acordo com o Departamento de Estado dos EUA, o secretário condenou ainda os "provocativos" movimentos das tropas russas ao longo da fronteira com a Ucrânia, o apoio de Moscou às forças separatistas e a "retórica inflamatória" da Rússia.

Kerry também solicitou que a Rússia apoie e não "denigra" os esforços da Ucrânia para estabilizar o país.

A insurgência pró-Rússia acusa a equipe alemã de observadores de ser espiã da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Os Estados Unidos e as outras potências do G-7 (Alemanha, Reino Unido, Canadá, França, Itália e Japão), assim como os países da União Europeia, estudam novas sanções econômicas contra a Rússia, devido às ações de Moscou na Ucrânia. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAKereyRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.