Kerry rejeita prazo de Assad para colocar armas sob controle internacional

Secretário de Estado dos EUA afirmou que apenas as 'palavras do regime sírio não são suficientes'

AE, Agência Estado

12 Setembro 2013 | 15h29

GENEBRA - O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, rejeitou nesta quinta-feira, 12, a sugestão do presidente da Síria, Bashar Assad, de começar a entregar as informações sobre seu arsenal de armas químicas um mês depois de assinar uma convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o tema.

Numa entrevista coletiva conjunta concedida em Genebra ao lado do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, Kerry disse que não existe nenhum padrão nesse processo", rebatendo a afirmação de Assad de que o prazo de 30 dias seria padrão.

"As palavras do regime sírio, em nosso julgamento, simplesmente não são suficientes", disse o chanceler americano, voltando a acusar Damasco de ter usado armas químicas - o que é negado pelo governo.

Kerry salientou que os Estados Unidos poderiam atacar a Síria se Assad não aceitar o desmantelamento de seu arsenal químico. "Haverá consequências se isso não acontecer", insistiu.

Pouco antes, a ONU anunciou ter recebido documentos do governo da Síria para a adesão do país à convenção internacional contra o uso de armas químicas. Ao lado de Kerry, Lavrov disse que o desmantelamento do arsenal "tornará desnecessário qualquer ataque contra a República Árabe Síria"./ AP

Mais conteúdo sobre:
SíriaJohn KerrySergei Lavrov

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.