Kerry reúne-se novamente com presidente afegão

O secretário de Estrado norte-americano John Kerry reuniu-se novamente nesta terça-feira com o presidente afegão Hamid Karzai, um dia de pois de os dois terem mostrado unidade para tentar encerrar as discussões sobre comentários contrários aos norte-americanos feitos pelo líder afegão.

Agência Estado

26 de março de 2013 | 09h37

Kerry também se reuniu, na Embaixada norte-americana em Cabul, com participantes de um programa de empreendedorismo para mulheres, que conta com o apoio dos Estados Unidos. Ele ouviu uma sucessão de preocupações das empresárias sobre o que a transição de 2014 vai significar não apenas para mulheres e meninas do país, mas para o comércio afegão em geral.

"Após a conclusão da transição, esperamos receber as mesma atenção" que temos agora, disse Hassina Syed, que dirige empresas de construção, fornecimento de comida e transporte. Com a aproximação da transição ''há uma série de efeitos negativos no setor comercial", disse ela a Kerry.

Kerry também conversou com líderes civis que se preparam para as eleições afegãs deste ano e disse que quer homenagear, em nome de todos na América, a jornada pela qual estão passando e a grande contribuição que o povo têm feito para nosso país e os esforços que estão fazendo para desenvolver esta democracia. "Vocês estão engajados em esforços memoráveis e o mundo todo está assistindo", disse ele

O secretário de Estado chegou a Cabul na segunda-feira, em meio a temores de que Karzai poderia estar prejudicando o progresso da guerra contra extremistas com sua retórica. O presidente afegão enfureceu as autoridades norte-americanas no início deste mês ao acusar Washington de colaborar com insurgentes do Taleban para manter o país fraco, mesmo quando o governo Obama pressiona pela implantação de seu projeto de repassar a responsabilidade da segurança para forças afegãs e encerrar as missões de combate da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) até o final do próximo ano.

Após uma reunião privada, Kerry disse que havia perguntado a Karzai sobre as declarações e que estava muito satisfeito com a explicação do presidente. Ele disse que os dois países têm a mesma opinião, enquanto a preparação das forças internacionais se preparam para encerrar as operações de combate em 2014.

Em coletiva de imprensa após a reunião com Kerry, Karazi disse aos jornalistas que seus comentários, feitos durante um discurso transmitido pela televisão, foram mal interpretados pela mídia.

Kerry argumentou a este respeito, dizendo que alguma vezes as pessoas dizem coisas em público que refletem ideias que elas ouviram de outros, mas com as quais não necessariamente concordam.

"Estou confiante de que o presidente (Karzai) não acredita que os Estados Unidos têm qualquer interesse em ver o Taleban vir à mesa de negociações para fazer a paz e que somos completamente cooperativos com o governo do Afeganistão, no que diz respeito à proteção de seu esforços e de seu povo", declarou Kerry. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
AFEGANISTÃOKERRY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.