Kerry: Rússia diz que respeitará soberania da Ucrânia

O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, disse nesta quinta-feira ter recebido garantias da Rússia de que o país irá respeitar a soberania da Ucrânia e que exercícios militares perto da fronteira entre as duas nações não são um prelúdio de uma intervenção militar por parte de Moscou.

AE, Agência Estado

27 de fevereiro de 2014 | 17h13

Kerry afirmou ter conversado com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, que disse que o acúmulo maciço de tropas, aviões e navios de guerra já havia sido previamente programado e não está relacionado com a recente agitação na Ucrânia.

Os movimentos militares irritaram os EUA porque vieram na sequência da derrubada do presidente Viktor Yanukovich, pró-Rússia, que fugiu da capital Kiev e estaria supostamente hospedado em um retiro do Kremlin fora de Moscou. Kerry advertiu a Rússia contra a intervenção militar na Ucrânia, uma ex-república soviética, afirmando que isso poderia provocar uma forte resposta do Ocidente.

Em uma entrevista coletiva concedida na quinta-feira junto com o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, Kerry disse que continuaria observando as ações da Rússia para garantir que elas combinam com as palavras de Moscou. "Todo mundo precisa de dar um passo para trás e evitar provocações", disse Kerry. "Palavras são palavras. Nós todos aprendemos que são ações e escolhas subsequentes que fazem a maior diferença."

O secretário disse ainda que os EUA também apoiam a aprovação pelo Parlamento da Ucrânia de um governo de transição em Kiev que irá comandar o país até a realização de eleições em maio. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Ucrâniafronteirasrússiakerry

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.