Kerry telefona para Bush e aceita a derrota

O presidente George W. Bush conquista um segundo mandato de quatro anos à frente da nação mais poderosa do mundo. Sua promessa de uma liderança firme e estável em tempo de guerra bateu as propostas do senador John Kerry por uma nova abordagem para a guerra e o combate ao desemprego.Kerry encerrou sua participação em uma das corridas eleitorais mais amargas e disputadas já vistas nos EUA com um telefonema para o presidente pouco depois das 11h00 da manhã (14h00, em Brasília)."Congratulações, senhor presidente", teria dito Kerry no telefonema. Bush, por sua vez, saudou o candidato derrotado como um oponente forte, valoroso e honrado. Kerry teria dito ainda que os EUA são hoje um país dividido, e que "temos de fazer algo a respeito".Fontes do Partido Democrata haviam dito anteriormente que o companheiro de chapa de Kerry, o senador John Edwards, era contra o reconhecimento da derrota. Edwards, que é advogado, teria defendido que o partido explorasse todas as possibilidades legais antes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.