Kerry tenta aplacar indignação francesa com espionagem

Secretário de Estado dos EUA afirmou que o governo norte-americano está tentando encontrar o equilíbrio entre a segurança das pessoas e o direito à privacidade

O Estado de S. Paulo

21 de outubro de 2013 | 17h13

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, desembarcou hoje em Paris na defensiva, afirmando que o governo norte-americano está tentando encontrar o equilíbrio entre a segurança das pessoas e o direito à privacidade.

Kerry está em Paris para uma reunião de diplomatas árabes sobre as perspectivas de paz no Oriente Médio, mas chegou à capital francesa horas depois de o jornal Le Monde ter publicado reportagem denunciando que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) coletou mais de 70 milhões de registros telefônicos na França, incluindo, gravações de conversas e mensagens de textos, entre os primeiros dias de dezembro de 2012 e o começo de janeiro deste ano.

A reportagem do Le Monde levou o Ministério das Relações Exteriores da França a convocar o embaixador dos EUA em Paris, Charles Rivkin, para exigir explicações sobre as novas revelações de espionagem contra cidadãos franceses.

O chanceler norte-americano lembrou que a França é um dos mais antigos aliados dos EUA no mundo e disse que o assunto já está sendo discutido e o objetivo é atenuar as preocupações dos franceses em relação à espionagem norte-americana. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaEUAespionagemKerry

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.