Kerry: uso de armas químicas na Síria é 'inegável'

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, declarou nesta segunda-feira que o emprego de armas químicas na Síria é "inegável e indesculpável" e acusou o governo da Síria de ter destruído evidências do uso desse tipo de armamento.

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2013 | 16h57

De acordo com Kerry, os Estados Unidos e seus aliados estão analisando informações sobre o emprego de armas químicas na Síria e o presidente norte-americano, Barack Obama, acredita na necessidade de responsabilização dos culpados, mas ainda avalia a melhor maneira de reagir.

Kerry enfatizou que ataques com armas químicas desafiam o "código de moralidade" e deveriam "chocar a consciência do mundo".

Os EUA estão sob crescente pressão para responder firmemente a denúncias de que o governo sírio teria usado armas químicas na semana passada, em um ataque que deixou centenas de mortos.

Damasco acusa os rebeldes pelo massacre e permitiu o trabalho de inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU). Washington considera o uso de armas químicas a "linha vermelha" que levaria a uma intervenção militar externa na Síria.

Hoje, francoatiradores dispararam contra a equipe de investigadores da ONU na Síria, disse Martin Nesirky, porta-voz da entidade. Não houve feridos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASíriaKerryarmas químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.