Efe
Efe

Kerry vê 'fortes indícios' do uso de armas químicas pelo regime sírio

Ministro turco afirma que exames feitos em sírios mostram sinais do uso desse armamento

O Estado de S. Paulo,

10 de maio de 2013 | 17h37

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, afirmou nesta sexta-feira, 10, que existem "fortes indícios" de que o regime sírio utilizou armas químicas.

As forças do presidente da Síria, Bashar Assad, e da oposição se acusam mutualmente pelo uso de armas químicas.

Na mesma linha, o ministro turco das Relações Exteriores, Ahmet Davutoglu, afirmou que exames realizados em vítimas da Síria que chegaram à Turquia indicaram que armas químicas foram usadas pelas forças sírias. Mais testes estavam sendo realizados para verificar esse indício.

"Estamos fazendo testes e temos algumas indicações que armas químicas foram usadas, mas, para se ter certeza, continuamos com estes testes e vamos compartilhar os testes com as agências da ONU", disse Davutoglu em Amã.

A agência de notícias estatal turca Anatolian afirmou na quinta-feira que o país enviou oito especialistas para a fronteira com a Síria para fazer exames em vítimas feridas da guerra civil em busca de vestígios de armas químicas e biológicas.

Venda de mísseis. Ao mesmo tempo, a Rússia anunciou que não venderá, pelo menos neste momento, mísseis S-300 ao regime sírio. O anúncio foi feito pelo chanceler russo Sergei Lavrov e é um sinal relevante do principal aliado de Bashar Assad. / REUTERS e AP

Tudo o que sabemos sobre:
primavera árabeSíriaEUARússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.