Khadafi nega fuga para Venezuela na TV

Líder líbio faz aparição rápida, sentado em um carro e segurando um guarda-chuva.

BBC Brasil, BBC

22 de fevereiro de 2011 | 10h12

O líder da Líbia, Muamar Khadafi, apareceu rapidamente na TV estatal na noite desta segunda-feira.

Khadafi desmentiu notícias de que teria deixado o país, depois de dias de confrontos nas ruas de várias cidades da Líbia.

Os boatos afirmavam que Khadafi tinha ido para a Venezuela. Nas imagens mostradas na TV ele aparecia sentado em um carro, diante de um prédio parcialmente destruído.

"Eu conversava com jovens esta noite na praça Verde", disse o líder líbio. "Mas tive que vir aqui para provar que estou em Trípoli e não na Venezuela e para rejeitar os boatos maliciosos daqueles canais maldosos", acrescentou Khadafi se referindo aos canais de televisão estrangeiros.

Esta foi a primeira aparição na TV de Khadafi desde que as manifestações começaram há três dias no país.

Muamar Khadafi em breve aparição na TV estatal da Líbia

E Khadafi não falou nada a respeito das informações de que centenas de pessoas foram mortas nos choques com as forças de segurança. Enquanto isso, as imagens do que parecem ser soldados ou policiais disparando contra manifestantes desarmados continuam sendo divulgadas.

E agora, há informações de que aviões de guerra líbios bombardearam áreas civis. Mas, o governo afirma que apenas depósitos de munição foram atingidos.

No entanto, dois pilotos líbios fugiram para Malta, alegando que não obedeceriam a ordem de atacar pessoas inocentes.

Todas estas informações já provocaram reações entre líderes internacionais. A Secretária de Estado americana Hillary Clinton disse que a situação na Líbia é inaceitável. E um porta-voz do secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, disse que ele estava escancalizado pelo que está acontecendo no país.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
líbiamuamar khadaficonfrontos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.