Khadafi reaparece e volta a prometer vitória, 'no curto ou no longo prazo'

Líder líbio faz sua primeira aparição em público, pela TV estatal, desde o início da ofensiva estrangeira.

BBC Brasil, BBC

22 Março 2011 | 21h45

Líder líbio disse que exércitos islâmicos deveriam apoiá-lo

O líder líbio, Muamar Khadafi, fez sua primeira aparição em público desde o início da ofensiva ocidental no país e prometeu, mais uma vez, derrotar as tropas da coalizão estrangeira.

"No curto prazo, venceremos. No longo prazo, venceremos", disse Khadafi, em uma suposta aparição ao vivo na TV estatal do país, feita em Bab Al-Aziziya, local próximo a Trípoli que foi bombardeado recentemente pelas tropas estrangeiras. "Seremos vitoriosos no final."

As tropas de Khadafi continuam em confronto com os rebeldes do país, enquanto uma coalizão liderada por EUA, França e Grã-Bretanha, autorizada pelo Conselho de Segurança da ONU, atacam alvos do regime na Líbia.

Em discurso de três minutos, feito de uma sacada diante de um grupo de simpatizantes, Khadafi disse que a "mais poderosa defesa aérea" de seu país "é o povo". "Aqui está o povo. Khadafi está no meio do povo. Esta é a defesa aérea."

O líder líbio se disse vítima de uma "nova cruzada" lançada "contra o islã".

"Todos os exércitos islâmicos devem tomar parte na batalha. Seremos vitoriosos no final", agregou.

Batalhas

Enquanto isso, Misrata, o último bastião rebelde no oeste do país, transformou-se em um sangrento campo de batalhas, e nenhum dos lados parece ter força o suficiente para assumir o controle.

Há relatos de confrontos também em Zintan, próxima à fronteira com a Tunísia (oeste), e em Yafran, a 130 km de Trípoli. Testemunhas dizem que dez pessoas morreram em cada uma dessas cidades.

Na noite desta terça, eram ouvidas explosões também em Trípoli, aparentemente de ataques das forças estrangeiras para reforçar o bloqueio aéreo, que visa impedir que as forças de Khadafi usem aeronaves para atacar opositores.

Na noite anterior, uma área portuária de Trípoli e uma base naval a 10 km da capital líbia haviam sido alvejadas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.