Khamenei critica ocupação do Iraque e declarações de Bush

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse nesta sexta-feira (14) que a ocupação do Iraquepelos Estados Unidos está fracassando e criticou o presidenteGeorge W. Bush por ter pedido mais democracia no Oriente Médio. Khamenei, cujo establishment ultraconservador é acusado pelosEUA de nada fazer para evitar que forças antiamericanasatravessem a fronteira com o Iraque, disse que os soldadosamericanos "estão sendo estapeados na cara diariamente pelosiraquianos". "Eles (os Estados Unidos) invadiram o Iraque sob a premissa delibertar o povo, mas criaram uma situação deplorável", declarouKhamenei perante dezenas de milhares de fiéis na Grande Mesquitade Teerã durante um sermão para marcar as orações desexta-feira. Forças americanas enfrentam uma resistência cada vez maisacirrada dentro do Iraque. Apenas este mês, mais de 50 soldadosdos EUA e seus aliados morreram em solo iraquiano. Khamenei disse que os americanos "derrubaram um ditadoriraquiano (Saddam Hussein) e instalaram em seu lugar um ditadorestrangeiro", referindo-se a Paul Bremer, líder da AutoridadeProvisória de Coalizão, nome oficial do governo americano deocupação. Khamenei criticou ainda uma declaração feita por Bush noinício do mês. Segundo o presidente americano, os governos doOriente Médio, em especial o do Irã, deveriam se esforçar maispara promover reformas democráticas. "As pessoas que desconsideram tão abertamente o direito e ospontos de vista de outras nações enganam-se quandoautoproclamam-se estandartes da democracia", prosseguiu o lídersupremo iraniano. Ele aproveitou ainda para acusar os EUA de alinharem-secegamente em favor de Israel no conflito com os palestinos ecomentou que talvez Bush e o primeiro-ministro israelense, ArielSharon, sejam hoje "as pessoas mais odiadas no mundo islâmico".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.