Khatami defende negociações sem condições prévias

O ex-presidente iraniano Mohammad Khatamiestá convencido de que a disputa nuclear entre seu país e os países ocidentais deve ser resolvida através da negociação, mas advertiu que não deve haver "condições prévias".Em entrevista publicada nesta quinta-feira pelo jornal francês Le Monde, Khatami afirmou que seu país está sendo privado do direito legítimo à tecnologia nuclear."Não há outra via para superar o conflito, senão a da negociação e do compromisso", disse Khatami, garantindo que seu país não deseja fabricar armamentos nucleares.O ex-presidente iraniano atribui a manutenção das diferenças entre os Estados Unidos e o Irã à obstinação e pressão dos americanos sobre os aliados europeus.Desde a última terça, o Alto Representante para Política Externa e de Segurança da União Européia (UE), Javier Solana, e o negociador iraniano da questão nuclear, Ali Larijani, vem realizando conversações. O político europeu reconheceu que as negociações representam progresso sobre o tema. Khatami, cuja passagem pela presidência iraniana se caracterizou pelo espírito de abertura, acredita que os atentados contra os Estados Unidos, em 2001, abriram "um caminho de mal-entendidos"."No passado, o ocidente cristão e o oriente islâmico aprendiam um com o outro. As guerras eram econômicas e políticas. Esse conflito, no entanto, se estendeu às religiões", afirmou Khatami.O motivo para isso, segundo ele, foi a utilização do Islã pelos terroristas, que "desnaturalizam uma religião que prega a misericórdia". Ele também criticou os ocidentais, que, de acordo com Khatami, "trataram de incentivar a islamofobia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.