Eduardo Gayer / Estadão
Eduardo Gayer / Estadão

Kiev aciona sirene de emergência e população se refugia de ataque russo em bunkers

Hoje usadas para proteger-se de Moscou, as estações-bunkers foram construídas pela extinta União Soviética no período da Guerra Fria

Eduardo Gayer, enviado especial a Kiev, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2022 | 03h16

A prefeitura de Kiev, capital da Ucrânia,  acionou a sirene de emergência na cidade após bombardeios da Força Aérea da Rússia contra alvos militares na cidade. A população neste momento se divide entre ficar em casa, como orientado pela prefeitura, ou se dirigir a estações de metrô que funcionam como bunkers. 

Hoje usadas para proteger-se de Moscou, as estações-bunkers foram construídas pela extinta União Soviética no período da Guerra Fria, quando a Ucrânia era uma de suas repúblicas socialistas. 

Mulheres e crianças estão nas estações com sacolas de comidas e malas de roupas. O clima nas ruas é de correria e apreensão, ainda que alguns sigam para suas atividades cotidianas. 

Segundo apurou o Estadão, a embaixada brasileira na Ucrânia está em negociação com o Itamaraty sobre planos de retirada dos brasileiros em Kiev.

Jatos russos sobrevoaram há pouco a região central de Kiev, capital da Ucrânia, após a Rússia invadir o país europeu nesta madrugada. A reportagem do Estadão, que está neste momento na Praça da Independência, ouviu o alto barulho das aeronaves, mas não conseguiu identificar a origem delas devido ao tempo nublado.

Ataque russo à Ucrânia

Rússia, atacou a Ucrânia nesta quinta-feira, 24, com bombardeios contra alvos militares em Kiev, Kharkiv e outras cidades no centro e no leste do país depois de o  presidente Vladimir Putin, ter autorizado uma operação militar nos enclaves separatistas do leste do país, segundo o ministério da Defesa da Rússia. Foram registradas explosões ainda nas cidades portuárias de Kiev e Mariupol. No começo da manhã, no horário local, sirenes antiaéreas soaram nas cidades de Kiev e Lviv, numa cena rara na Europa desde o fim da Segunda Guerra Mundial. 

Autoridades ucranianas dizem que tropas russas desembarcaram em Odessa e na Crimeia enquanto outras estão cruzando a fronteira para Kharkiv. O serviço de emergência estatal da Ucrânia diz que ataques foram lançados contra 10 regiões ucranianas, principalmente no leste e sul do país. Pelo menos sete ataques aéreos "poderosos" no aeroporto Vasilkovsky nos arredores de Kiev, onde os caças-bombardeiros militares da Ucrânia são mantidos. 

Em terra, na fronteira da Ucrânia com Belarus, tanques russos foram vistos cruzando a fronteira norte, segundo a guarda fronteiriça ucraniana. A Rússia tem 30 mil homens no país vizinho e Kiev fica a cerca de 150 km da fronteira. No leste, separatistas apoiados pela Rússia disseram que lançaram uma ofensiva na cidade de Shchastia, controlada pela Ucrânia, na Província de Luhansk, disse a agência de notícias russa Interfax

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.