Kigali pode indiciar herói do ''Hotel Ruanda''

Reconhecido mundialmente por salvar as vidas de pelo menos 1,2 mil pessoas durante o genocídio de 1994 em Ruanda, o ex-gerente de hotel retratado no filme Hotel Ruanda, Paul Rusesabagina, de 56 anos, pode ser indiciado por supostamente ter financiado comandantes das Forças Democráticas para a Libertação de Ruanda (FDLR), movimento de oposição acusado de terrorismo pelo governo ruandês.

, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2010 | 00h00

Mas até ontem nenhum indiciamento formal tinha sido registrado. "Esse é o mais recente passo de uma campanha do governo ruandês contra mim que inclui insultos públicos, mentiras e ameaças de agressões", declarou Rusesabagina à agência Associated Press. Rusesabagina, que vive no Texas, disse que há anos não envia dinheiro a Ruanda.

Grupos defensores dos direitos humanos denunciam o governo do presidente tutsi Paul Kagame por silenciar opositores. A suspeita sobre Rusesabagina parece estar ligada à prisão do hutu Victoire Ingabire, acusado de formar um grupo terrorista. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.