(TBS-JNN via AP)
(TBS-JNN via AP)

Kim Jong-un aproveita viagem para fumar seus cigarros no Vietnã

Desde que uma campanha antitabagismo começou na Coreia do Norte, em 2016, Kim Jong-un passou a ser raramente visto empunhando seus tão costumeiros cigarros

Washington Post, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2019 | 05h00

Desde que uma campanha antitabagismo começou na Coreia do Norte, em 2016, Kim Jong-un passou a ser raramente visto empunhando seus tão costumeiros cigarros. Mas, nesta semana, a superexposição midiática do líder norte-coreano em sua viagem de trem para o Vietnã, para se encontrar com o presidente dos EUA, Donald Trump, deixou o hábito mais difícil de esconder.

Poucas horas antes de sua chegada a Hanói, na terça-feira, a emissora japonesa TBS-JNN capturou imagens de Kim andando na plataforma da Estação de Nanning, na China, fazendo uma pausa para um cigarrinho na sua viagem de trem de 65 horas entre Pyongyang e a fronteira com o Vietnã. Nos minutos em que dava suas baforadas, sua irmã e fiel escudeira, Kim Yo-jong, segurava um cinzeiro de cristal para ele.

Esse tipo de filmagem de Kim em momentos vulneráveis são raras. Desde que se tornou líder norte-coreano, em 2011, Kim permaneceu grande parte do tempo confinado – ou em aparições totalmente controladas pelo governo. A cobertura da mídia estatal da Coreia do Norte é lisonjeira e qualquer tomada menos agradável ao líder é digitalmente alterada.

Sua visita ao Vietnã, assim como a cúpula anterior, em Cingapura, o colocaram sob um raro holofote. Dezenas de organizações de mídia do mundo acompanharam a passagem do trem pela China e sua chegada ao Vietnã, observando cada movimento de Kim – um escrutínio a que o ditador não está acostumado. Os meios de comunicação japoneses e sul-coreanos até mandaram repórteres para as ferrovias chinesas em uma tentativa de vislumbrar a passagem do trem verde-oliva blindado de Kim.

Para Kim, é possível que a atenção da mídia internacional esteja difícil de digerir. A cúpula Trump-Kim é um evento diplomático, mas também um espetáculo da mídia. Depois que Kim se reuniu com o presidente sul-coreano Moon Jae-in na aldeia de Panmunjom, o jornal conservador Chosun Ilbo pediu aos especialistas que olhassem as fotos dos sapatos de Kim. Concluíram que ele estava usando saltos personalizados e que ele mede 1,64, e não os 1,71 que costuma declarar.

Desde que desembarcou, o governo vietnamita vem tentando limitar o acesso da imprensa tanto ao hotel onde ele está hospedado quando aos deslocamentos de sua comitiva. David Nakamura, do The Washington Post, relatou que uma testemunha viu um funcionário norte-coreano gritando para a equipe de segurança vietnamita, ordenando que eles impedissem que jornalistas fotografassem ou até mesmo olhassem para a comitiva de Kim./ W.POST 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.