EFE/KCNA
EFE/KCNA

Kim Jong-un faz primeiro comentário oficial sobre diálogo com EUA

Em uma reunião do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores, o líder norte-coreano também fez ‘uma profunda análise e avaliação’ sobre o desenvolvimento das relações entre Pyongyang e Seul

O Estado de S.Paulo

10 Abril 2018 | 09h40

SEUL - O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, fez seu primeiro comentário oficial sobre os contatos entre seu país e os EUA, e a cúpula que será realizada na fronteira no dia 27 com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in.

+ Trump aguarda reunião com Coreia do Norte para maio ou junho

+ Coreia do Norte diz aos EUA que está pronta para discutir desnuclearização

Kim fez um relatório sobre a situação na península coreana em uma reunião do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores na segunda-feira, no qual fez "uma profunda análise e avaliação" do desenvolvimento das relações Norte-Sul e "das perspectivas de diálogo" com os EUA, segundo informou nesta terça-feira a agência estatal norte-coreana KCNA.

+ Seul quer declaração de desnuclearização da Coreia do Norte em reunião com Kim Jong-un

+ Kim ficou ‘profundamente comovido’ com o show de artistas sul-coreanos em Pyongyang

A publicação do primeiro comentário oficial do líder norte-coreano sobre as conversas entre Pyongyang e Washington foi feita horas depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, dizer que se reunirá com Kim em maio ou no início de junho, encontro no qual espera chegar a um acordo sobre a desnuclearização do regime.

A Coreia do Norte manifestou sua disposição para tratar do assunto, que segundo afirmou o próprio Kim durante sua reunião com o presidente chinês, Xi Jinping, em março em Pequim, "pode ser resolvido se a Coreia do Sul e os EUA responderem aos nossos esforços com boa vontade" e "tomarem medidas progressivas e sincronizadas para sua consecução".

Kim mencionou, além disso, durante a reunião de altos membros do politburo de Pyongyang, sua cúpula de 27 de abril com o presidente sul-coreano na fronteira, que precederá à de Trump.

O marechal norte-coreano também expôs no encontro "questões estratégicas e táticas que a RPDC (República Popular Democrática da Coreia, nome oficial do país) terá de manter, incluindo a futura política de relações internacionais e a orientação que lhes corresponde", destacou a KCNA, sem fornecer mais detalhes sobre o assunto.

A reunião do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores foi realizada dois dias antes de o Parlamento norte-coreano realizar a sessão na qual se debaterá principalmente o orçamento nacional e uma reorganização de pessoal. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.