Kim Jong-un machucou a perna, mas continua no poder, diz fonte

Sem se identificar, pessoa ligada ao líder norte-coreano afirmou que o machucado ocorreu durante exercícios militares

O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2014 | 18h38

PEQUIM/SEUL - O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, está firme no controle de seu governo, apesar de ter machucado a perna durante um exercício militar, disse nesta sexta-feira, 10, uma fonte com acesso à liderança norte-coreana, minimizando as especulações a respeito da saúde e do comando do líder de 31 anos à frente da nação com poderio nuclear.

"Ele ordenou que todos os generais participassem dos exercícios e ele também participou. Eles rastejaram e correram e rolaram, e ele estirou um tendão", afirmou a fonte sob condição de anonimato.

"Ele machucou o tornozelo e o joelho aproximadamente no fim de agosto ou início de setembro, enquanto treinava, porque está acima do peso. No começo ele saiu mancando, mas o machucado piorou", acrescentou.

A mídia estatal norte-coreana, que normalmente relata as atividades de Kim em detalhes, não mencionou nenhuma aparição pública desde que ele compareceu a um concerto com a mulher em 3 de setembro. A agência estatal KCNA deixou implícito que ele não esteve presente à comemoração política da fundação do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte nesta sexta.

Nos dois últimos anos, Kim comemorou o aniversário da fundação do partido com uma visita após a meia-noite ao mausoléu de Pyongyang, onde os corpos do pai e do avô dele estão enterrados. Mas a reportagem da KCNA não citou o nome de Kim na lista de autoridades partidárias e militares de primeiro escalão que compareceram ao evento neste ano. Um cesto de flores do líder foi posto no local, relatou a agência. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Kim Jong-unCoreia do Norte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.