Kirchner diz que situação com o Uruguai vai além de conflito

O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, disse que "é preciso isolar o conflito que existe com o Uruguai" porque há "uma relação que vai além da questão das fábricas" de celulose que motiva a controvérsia. "Nós damos a eles (ao Uruguai) luz e gás. Não fazemos o que o Brasil fez, que recentemente cortou o fornecimento por causa de um problema energético", disse Kirchner em entrevista publicada neste domingo pelo jornal La Nación.Há uma semana, o Brasil decidiu cortar a venda de 70 megawatts ao Uruguai devido a sua demanda interna. Isto gerou um aumento do custo da produção de energia para o governo do presidente Tabaré Vázquez.Celulose A fábrica de celulose espanhola ENCE e a finlandesa Botnia estão construindo filiais na cidade uruguaia de Frei Bentos, que faz fronteira com a Argentina, o que é considerado um risco ao meio ambiente.A Argentina entrou com uma ação no Tribunal Internacional de Haia, Holanda, para resolver o litígio que mantém há quase um ano com o Uruguai a respeito das fábricas de celulose."Fiquei um ano sem falar no assunto. Os bloqueios (de estradas, realizados por protestantes argentinos) não foram bons para chegar a um acordo, mas não fomos nós que abandonamos a negociação", assinalou o governante.No entanto, o jornal La Nacion informou que quando o presidente da Argentina foi perguntado se conseguiu conversar com seu colega uruguaio durante a cúpula, Kirchner respondeu que só teve "um encontro", no qual se cumprimentaram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.