Kirchner se reúne com oposição venezuelana

O presidente de Argentina, Néstor Kirchner, atendeu aos apelos dos líderes da oposição da Venezuela e se reuniu com o governador do Estado de Miranda, Enrique Mendoza, e com o deputado Julio Borges, do partido Primeira Justiça. De acordo com o chanceler argentino Rafael Bielsa, que concedeu entrevista ao canal privado Globovision, os participantes concluíram que todos têm de fazer o máximo de esforços por uma saída institucional para a crise da Venezuela e para evitar derramamento de sangue."É preciso que o exame das assinaturas dos que pedem um plebiscito para saber se é possível revogar o mandato do presidente Chávez se dê em condiçoes satisfatórias para todas as partes", disse Bielsa depois do encontro com os opositores de Chávez. O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) decidiu que, das 3,45 milhões de assinaturas coletadas pela oposição para tentar forçar um plebiscito que anteciparia as eleiçoes presidenciais, 700 mil precisam ser reexaminadas e que 600 mil são irregulares. Com isso, há o risco de não se alcançar as 2,45 milhões necessárias para a realização do plebiscito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.