Kirchner supervisionará pessoalmente relações com os EUA

O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, decidiu assumir pessoalmente a condução das relações de seu país com os Estados Unidos, confirmou o ministro do Interior, Aníbal Fernández. O ministro foi questionado pela imprensa sobre uma informação publicada na edição de hoje do jornal La Nación, segundo a qual o presidente havia decidido se ocupar pessoalmente das relações com Washington.Os Estados Unidos desempenham um papel relevante em um tema crucial para a Argentina: a renegociação da dívida externa e, conseqüentemente, a relação com o FMI, organismo no qual a palavra de Washington é decisiva.Kirchner demonstrou ter uma série de discordâncias com Washington em temas importantes de política externa: sua oposição à invasão do Iraque, seu repúdio ao embargo econômico contra Cuba e a decisão de não acompanhar uma condenação contra a ilha comunista proposta pelos EUA na comissão de direitos humanos da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.