REUTERS/Martin Acosta
REUTERS/Martin Acosta

Kirchnerista admite erro em viagem à Itália durante inundação na Argentina

Candidato governista à presidência reconheceu equívoco e reclamou de atitude de rivais durante alagamentos

Rodrigo Cavalheiro, Correspondente / Buenos Aires, O Estado de S. Paulo

16 de agosto de 2015 | 20h23

BUENOS AIRES - O candidato kirchnerista à presidência argentina, Daniel Scioli, admitiu neste domingo, 16, ter sido um erro voar para a Itália enquanto a província que governa tinha 40 municípios inundados e 6 mil desalojados. Em entrevista à Rádio El Mundo, ele afirmou que "sem nenhuma dúvida" equivocou-se ao fazer a viagem na terça-feira, 11. Dois dias antes, ele havia obtido 38,4% dos votos na primária de participação obrigatória no país, que o colocou como favorito para a eleição de 25 de outubro.

Scioli passou 5 horas na Europa e 26 horas nos voos de ida e volta. Ele decidiu cancelar seus planos depois que opositores o criticaram, mandaram ajuda às áreas atingidas e o prognóstico do tempo mostrou que o alagamento se agravaria.

No retorno, disse que o estresse da campanha causou dores que exigiam uma consulta médica - uma vez por ano, ele ajusta na Itália a prótese usada desde que perdeu o braço direito em uma corrida de lancha em 1989. Ele também teria na Europa reuniões com políticos e empresários.

O principal opositor, Mauricio Macri, prefeito de Buenos Aires - cujo grupo teve 30% na prévia -, destacou então que obras na capital argentina evitaram que houvesse desabrigados na cidade. O ex-kirchnerista Sergio Massa (sua coalizão teve 20,6%) acusou o Scioli de gastar em publicidade o que deveria ter investido em obras nas bacias dos rios.

Na entrevista deste domingo, Scioli voltou a condenar o que julgou uma tentativa dos rivais de tirar vantagem política da tragédia climática. Ele foi questionado sobre rumores de que a presidente Cristina Kirchner se irritou com sua ausência.

"A presidente teve presença permanente nas decisões. Ele colocou um comitê de emergência desde o primeiro momento", disse. Scioli afirmou ainda que o volume de chuva não teve precedentes no último século. Com sol durante o fim de semana após 10 dias de mau tempo, a maior parte dos desabrigados voltou para casa.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaDaniel Sciolialagamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.