David Gray - 23-05-2013/Reuters
David Gray - 23-05-2013/Reuters

Kiribati, no Pacífico, que só teve dois casos de covid-19 na pandemia, impõe toque de recolher

Após reabrir fronteiras, ilha entre a Austrália e o Havaí recebe voo internacional com 36 passageiros contaminados

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2022 | 16h05

TARAWA - Kiribati, pequena ilha no Pacífico Central, que passou quase incólume pela pandemia de covid-19, entrou em confinamento neste sábado, 22.  O governo impôs um toque de recolher de 24 horas após 36 passageiros de um voo internacional vindo de Fiji, na Oceania, terem teste positivo para o vírus - o país havia reaberto suas fronteiras no começo do mês.

A ilha, uma das mais remotas do mundo, havia registrado apenas duas infecções durante toda a pandemia – em duas pessoas que retornaram em um navio em maio do ano passado.

As restrições impostas pelo governo incluem a proibição de reuniões sociais e a exigência de que os moradores fiquem em casa, exceto em caso de emergência. A maioria dos escritórios do governo e outras instituições fecharão, exceto hospitais, polícia e serviços essenciais.

Segundo as autoridades locais, todos os 54 passageiros do voo que chegou a ilha na semana passada estão em quarentena em uma instalação do governo. Mesmo assim, há pelo menos quatro casos de covid-19 entre os moradores, incluindo um segurança do local reservado  quarentena.

O governo afirmou que há "uma suposição de que a covid-19" está se espalhando na comunidade. “A única maneira de combater esse vírus é através da vacinação completa”, afirmou, em nota, o gabinete da presidência. “É fundamental que todos trabalhem juntos para fazer nossa parte no combate a essa pandemia.”

Cerca de 90% da população recebeu a primeira dose de uma vacina contra o coronavírus e 53%, duas aplicações, segundo a Rádio Kiribati, citando dados oficiais. Conforme a rádio, o voo para Fiji foi fretado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Com uma população de quase 120 mil habitantes, Kiribati fica entre a Austrália e o Havaí, a cerca de quatro horas de voo de Fiji. O continente mais próximo, a América do Norte, fica a milhares de quilômetros de distância.

Os viajantes para Kiribati devem apresentar comprovante de vacinação e resultados de testes negativos e ainda ficar duas semanas em quarentena após a chegada.

Ilhas remotas mantiveram políticas de “covid zero” e impuseram longas proibições de viagens durante a pandemia. O pequeno tamanho das nações do Pacífico ajudou, de certa forma, a afastar o vírus. No entanto, com o retorno das viagens internacionais algumas nações enfrentam surtos da doença. A Samoa Americana, que detectou sua primeira infecção apenas em setembro, também anunciou um bloqueio total por 48 horas neste sábado, após a notificação de 15 casos de coronavírus em passageiros que chegaram em um voo da Austrália. / WP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.