Kissinger é convidado a falar sobre ditadura Pinochet

O ex-secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger foi convidado a prestar declarações em uma investigação sobre o desaparecimento de cidadãos franceses durante a ditadura de Augusto Pinochet no Chile, informaram fontes parisienses à Associated Press. O convite foi enviado a um hotel em Paris onde Kissinger está hospedado. Kissinger, que foi secretário sob as presidências de Richard Nixon (1969-1974) e Gerald Ford (1974-1976), encontra-se na capital francesa em caráter privado. Legalmente, ele não é obrigado a aceitar o convite. A convocação de Kissinger foi feita a pedido de William Bourdon, advogado das famílias de cidadãos franceses desaparecidos durante a ditadura de Pinochet (1973-1990). Segundo Bourdon, o testemunho de Kissinger é "essencial" para o caso, dados os numerosos intercâmbios entre as agências de serviço secreto dos EUA e do Chile após o golpe de Estado de 1973, que colocou Pinochet no poder.Dezenas de testemunhas já foram interrogadas pelo juiz Roger Le Loire, que investiga denúncias de que cinco cidadãos franceses, desaparecidos no Chile durante a ditadura pinochetista, foram seqüestrados e torturados. Le Loire está investigando também o desaparecimento de um pequeno número de cidadãos franceses na Argentina durante o último regime militar naquele país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.