Knut morreu de problemas cerebrais

Primeiros resultados da necropsia mostram 'mudanças significativas' em seu cérebro, segundo zoológico

AE, Agência Estado

22 Março 2011 | 12h18

 

BERLIM - O célebre urso polar Knut morreu repentinamente no fim de semana por "mudanças significativas" em seu cérebro, informou nesta terça-feira, 22, o Zoológico de Berlim. Os primeiros resultados da necropsia realizada por um instituto na capital alemã não mostraram alterações nos demais órgãos do urso, segundo o zoológico.

Não foram divulgados detalhes, mas o zoo disse que levará vários dias para se saber os resultados de outros testes, entre eles exames bacteriológicos. O urso foi rejeitado por sua mãe ao nascer, em 5 de dezembro de 2006, como seu irmão gêmeo, que sobreviveu somente alguns dias. Knut começou a chamar a atenção quando seu cuidador acampou no zoo para dar ao filhote alimento a cada duas horas.

Rapidamente surgiram associações de fãs no Japão, Estados Unidos e Alemanha, além de outras partes do mundo. A "Knutmania" cresceu tanto que o urso saiu na capa da revista Vanity Fair, junto com o ator Leonardo DiCaprio.

O urso polar de quatro anos morreu na tarde de sábado, diante dos visitantes do zoo, surpreendendo os cuidadores e o público. Ele deu várias voltas e então caiu na água em sua jaula. Muitas pessoas foram desde então ao zoo para colocar rosas brancas, acender velas, depositar fotos de Knut com mensagens e compartilhar conjecturas sobre a morte. Em geral, os ursos polares vivem entre 15 e 20 anos no meio silvestre e podem viver mais em cativeiro. O zoo disse que aguarda a investigação para esclarecer o fato. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.