Koiti leva a Moscou pedido de reconhecimento da região

O líder da Ossétia do Sul ressaltou que este pedido se baseia na "vontade expressada pelo

EFE

23 de agosto de 2008 | 04h49

O líder da Ossétia do Sul, Eduard Kokoiti, viajou neste sábado a Moscou para entregar às autoridades da Rússia o pedido de reconhecimento da independência dessa região separatista da Geórgia. "Viajo para a capital russa para entregar nosso pedido aos órgãos de poder da Federação da Rússia. Espero que a Rússia tome uma decisão correta em resposta à solicitação de reconhecer nossa independência", disse Kokoiti. Em declarações feitas antes de voar para Moscou, Kokoiti ressaltou que este pedido se baseia na "vontade expressada pelo povo" da Ossétia do Sul, e lembra que o mesmo pede à Rússia a outra região separatista georgiana, a Abkházia. Ambas as regiões separatistas aprovaram esta semana em assembléias populares e em seus respectivos Legislativos tais solicitações, dirigidas ao presidente russo, Dmitri Medvedev, e a ambas as câmaras do Parlamento da Rússia, a Duma e o Senado. A ânsia de independência das regiões, que romperam laços com Tbilisi após conflitos armados no começo da década passada, se avivaram após o ataque do Exército georgiano à Ossétia do Sul no dia 8, que levou a Rússia a entrar com suas tropas na Geórgia para proteger os separatistas. Kokoiti, eleito líder da administração da Ossétia da Sul em dezembro de 2001, convocou em 2006 um plebiscito, onde 99% da população local apoiou a independência em relação a Tbilisi. Depois que Kosovo declarou em fevereiro passado sua independência, a Ossétia do Sul e a Abkházia pediram o reconhecimento de sua independência à ONU, União Européia, comunidade pós-soviética, OSCE e Rússia. A Abkházia não descarta se integrar no futuro à Federação Russa, enquanto a Ossétia do Sul expressou seu desejo de se unir à república russa da Ossétia do Norte. A Duma russa anunciou que ao meio-dia da segunda-feira realizará uma sessão extraordinária para abordar o conflito bélico com a Geórgia e, segundo informações que vazaram para a imprensa, poderia pedir ao Kremlin o reconhecimento da independência de Abkházia e Ossétia do Sul, como já fez em março passado. Então, a Duma considera "conveniente reconhecer a independência" de ambas as regiões no caso de serem atacadas pela Geórgia ou se esta ingressar na Otan, a fim de proteger assim os habitantes ossets e abkhazes, já que a Rússia tinha lhes concedido sua cidadania, apesar dos protestos de Tbilisi.

Tudo o que sabemos sobre:
Ossétia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.