Koizumi aprova ataque ao Taleban

O primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, disse hoje que o Japão apóia "fortemente" a incursão aérea anglo-americana contra o Afeganistão e o regime extremista do Talebã. "Nosso país apóia fortemente essas ações para combater o terrorismo", disse Koizumi, logo após os ataques. A segurança em fábricas e escritórios de empresas americanas e japonesas foi aumentada depois dos ataques e também em usinas nucleares. Koizumi disse que o presidente dos EUA, George W. Bush, pediu, em conversa por telefone, para que o premiê japonês seja paciente, pois a guerra pode se arrastar por um longo período. O Ministério do Exterior do Japão recomendou que cerca de 1.100 japoneses que estão no Afeganistão e em países vizinhos saiam desses lugares. Logística O Japão se prontificou a oferecer ajuda logística aos Estados Unidos na guerra contra o terrorismo. As forças japonesas podem ajudar a proteger bases norte-americanas e a transportar armas e munição. O Parlamento japonês ainda precisa aprovar o apoio aos EUA, o que deve acontecer até o final deste mês. O país também vai fornecer suprimentos, como cobertores, barracas e purificadores de água para os refugiados afegãos que estão cruzando a fronteira com o Paquistão. Durante o fim de semana, 12 aviões japoneses carregando esses suprimentos foram enviados ao Paquistão. Hoje, Junichiro Koizumi viajou à China para discutir com presidente Jiang Zemin o papel dos dois países na luta contra o terrorismo liderada pelos Estados Unidos. O Japão tem uma constituição pacifista, que proíbe o país de entrar em guerra. Leia o especial

Agencia Estado,

08 Outubro 2001 | 02h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.