Koizumi é favorito a manter o poder no Japão

O Japão terá eleições legislativas neste domingo e os eleitores estão dispostos a manter o primeiro-ministro Junichiro Koizumi no poder, permitindo que ele continue a aplicar reformas que poderiam tirar o país de uma década de estancamento econômico, indicam pesquisas de opinião e analistas políticos. De acordo com pesquisa do jornal liberal Asahi, 48% dos japoneses vêm Koizumi como o primeiro-ministro ideal para dirigir o governo. Todas as pesquisas indicam que a coalizão de governo, liderada pelo popular Koizumi e dominada por seu Partido Liberal Democrata (PLD), deve obter ampla maioria no domingo, permitindo que Koizumi permaneça no cargo. Segundo os grandes jornais do país, a coalizão de Koizumi - formada pelo PLD, o Novo Partido Conservador e o Komeito (pequeno partido de centro, budista), obterá entre 250 e 270 dos 480 cadeiras da Câmara de Representantes. A coalizão tem atualmente 285 cadeiras, 247 só do PLD. O Partido Liberal Democrata, que agrupa tendências que vão da direita nacionalista até o centro, poderia até mesmo conservar a maioria absoluta, o que lhe daria as presidências de todos os comitês da Câmara, responsáveis pelas aprovações de projetos de lei conflitantes. Se os prognósticos forem confirmados, Koizumi, de 61 anos, será o primeiro chefe de governo "reeleito" desde Yasuhiro Nakasone, nos anos 80, algo que demonstraria uma grande confiança de um eleitorado instável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.