Kremlin anuncia reforma política para conter revolta

Presidente russo reativa eleições livres para governadores e simplifica regras para criação de partidos políticos

MOSCOU, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2011 | 03h04

O presidente russo, Dmitri Medvedev, propôs ontem no Parlamento uma reforma política para conter a insatisfação popular com o governo. Medvedev criticou a oposição, que, segundo ele, fomentou os protestos antigoverno da semana passada.

O presidente anunciou a volta de eleições diretas para governadores de regiões (nomeados pelo Kremlin desde 2004), a simplificação das regras de registro de partidos políticos e a redução de 2 milhões para 300 mil no número de assinaturas para registrar uma candidatura presidencial.

"Eu escuto os que falam da necessidade de mudança", disse o presidente, que insistiu que as propostas tinham apoio do premiê Vladimir Putin, candidato à presidência em março.

Para especialistas, o Kremlin tenta superar as denúncias de fraude nas eleições parlamentares do dia 4. "O direito das pessoas de expressar sua opinião está garantido, mas as tentativas de manipular os russos são inaceitáveis", disse Medvedev. "Não deixaremos provocadores e extremistas arrastarem a sociedade em suas aventuras." / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.