Kuroda/BOJ: Temos oportunidade para sair da deflação

São Paulo, 25/12/2013 - O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, afirmou nesta quarta-feira que as melhoras recentes da economia representam uma "oportunidade de ouro" para o país sair da deflação. Kuroda incentivou líderes empresariais a abandonarem as suas mentalidades deflacionárias. O presidente do BoJ discursou nesta quarta-feira para 300 líderes empresariais.

MARCELO RIBEIRO SILVA, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES E MNI, Agência Estado

25 de dezembro de 2013 | 07h17

Durante o encontro, Kuroda afirmou que o banco central japonês não está tentando gerar artificialmente a inflação por meio de seu programa de estímulos lançado em abril deste ano. Ele reforçou o seu compromisso de alcançar a meta de inflação em 2% o mais rápido possível.

"O BOJ mantém a visão de que as expectativas de inflação vão continuar em uma tendência crescente até chegar gradativamente à meta de 2%", disse Kuroda. "A política de estímulos do BoJ tem como objetivo aumentar os preços, mas não é destinada a acionar uma inflação indesejável", completou.

O presidente do BoJ estimou que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) deve ficar acima de 1% no primeiro semestre de 2014.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, também discursou durante o encontro e incentivou as empresas a adotarem "medidas ousadas" para aumentar os salários. O aumento salarial é considerado crucial para manter a recuperação econômica do país à medida que o BoJ e o governo tentam escapar da deflação e buscam criar um "ciclo virtuoso" de lucros corporativos que reflitam em salários, consumo e ganhos.

Tudo o que sabemos sobre:
KurodaBOJDeflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.