Kursk deve ser içado em setembro

Os reatores nucleares a bordo do naufragado submarino Kursk estão seguros e não ameaçam os esforços de uma companhia holandesa para içar a embarcação do fundo do Círculo Polar Ártico em setembro, informou nesta sexta-feira o vice-comandante da Marinha russa."O monitoramento regular de radiação mostrou que os reatores estão seguros", disse o vice-almirante Mikhail Barskov, oficial de mais alta patente da Marinha envolvido nos esforços para recuperar o submarino nuclear.De acordo com ele, os navios da Frota do Norte continuarão controlando os níveis de radiação constantemente até a realização do salvamento pela companhia holandesa Mammoet.A operação será iniciada em 9 de julho, quando 16 mergulhadores russos e estrangeiros deverão chegar ao local sobre o Mar de Barents.Os mergulhadores inspecionarão o submarino e instalarão os equipamentos necessários para levar a embarcação à superfície em 15 de setembro, se tudo transcorrer como o previsto.O Kursk afundou em 12 de agosto, após duas explosões em seu compartimento de armas, sendo que a segunda foi comparada a um terremoto de baixa intensidade.Torpedos não detonados continuam dentro do submarino e, de acordo com Barskov, será necessária uma inspeção cuidadosa para garantir que eles não representam nenhuma ameaça aos esforços de recuperação da nave."O corte do casco será feito por robôs e ninguém estará trabalhando no fundo do mar nessa hora", comentou Barskov.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.