Kuwait realiza primeira eleição com participação feminina

Mulheres foram às urnas em todo o Kuwait nesta quinta-feira para participar pela primeira vez de eleições parlamentares no país - um pleito que sacudiu o mundo da política neste emirado extremamente conservador rico em petróleo.As mulheres, que no ano passado conquistaram o direito de concorrer a cargos eletivos no Kuwait, votam em zonas eleitorais diferentes das dos homens. Dos 249 candidatos, 27 são mulheres. Com a abertura, elas compõem agora 57% do eleitorado."Parece o dia do meu casamento", compara Salwa al-Sanoussi, uma dona de casa de 45 anos que esteve entre as primeiras a chegar para votar numa zona eleitoral de Dahyia, uma das regiões mais ricas do Kuwait. Ela trajava roupas negras e tinha os cabelos cobertos por um capuz.O representante da oposição liberal ao governo conservador, Khaled al-Mutairi, mostrou-se empolgado com o interesse despertado pela eleição. De acordo com ele, a mobilização dos eleitores "superou as expectativas" e o pleito será "decisivo para o futuro do país".Com a votação desta quinta-feira, o Kuwait deixou a Arábia Saudita na posição de único país árabe que realiza eleições, mas não permite a participação de mulheres.A participação das mulheres, porém, não foi a única surpresa das eleições no Kuwait. A campanha foi marcada por apelos declarados em prol das reformas e por denúncias de corrupção contra o governo e contra o clã Al Sabah, família que controla a política e a economia do país. Apesar das denúncias, o governo aparentemente não tentou reprimir as vozes de oposição.O resultado do pleito deverá ser divulgado ainda nesta quinta-feira. Todas as 50 cadeiras do Parlamento estão em jogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.