Kuwaitiano é condenado à morte pelo assassinato de americano

Um tribunal kuwaitiano condenou à morte um homem acusado de matar um civil norte-americano, nesta quarta-feira. Sami al-Mutairi, de 25 anos, declarou-se inocente das acusações de ter assassinado um norte-americanos e ferido outros dois a tiros em 21 de janeiro. Michael Rene Pouliot, de 46 anos, foi morto perto do Campo de Doha, principal base dos Estados Unidos no Kuwait, e David Caraway, de 37 anos, ficou gravemente ferido.Ambos trabalhavam em uma empresa de computadores com sede em San Diego e estavam no país contratados pelas Forças Armadas dos EUA.Al-Mutairi, que fugiu para a Arábia Saudita, foi extraditado em janeiro. O Ministério do Interior do Kuwait afirmou que o acusado era simpatizante da organização terrotista Al-Qaeda, do milionário saudita Osama bin Laden. Mohammed Minwer al-Mutairi, advogado do acusado, não concorda com o veredicto e vai apelar da sentença. Outras três pessoas também foram condenadas com cúmplices do assassinato. Badi al-Ajami e Khalifa al-Dihani foram condenados há três anos por fornecer a arma e as munições usadas no ataque. Abdulah al-Oteibi também foi condenado por ter ensinado o acusado a manejar a arma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.