REUTERS/Mariana Greif
REUTERS/Mariana Greif

Lacalle Pou anuncia gabinete e promete governo focado em ação

Presidente eleito do Uruguai assume cargo em março de 2020 prometendo auditoria do Estado uruguaio para que população conheça a situação do país

Estadão, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2019 | 16h24

MONTEVIDÉU - O presidente eleito do Uruguai, Luis Lacalle Pou, apresentou o que será seu futuro gabinete governamental nesta segunda-feira, 16. O grupo será oficializado em seus respectivos postos no dia 1º de março. Lacalle Pou prometeu uma administração focada em "ação" e substituirá o atual presidente, Tabaré Vázquez, para um mandato de cinco anos.

A equipe anunciada por Lacalle Pou é composta por integrantes de quase todos os partidos do que chama de coalizão "multicolorida" e envolve desde representantes da direita à esquerda social-democrata. Essa aliança permitiu ao presidente eleito alcançar os votos necessários e a formação de maioria parlamentar.

Ex-senador do centro-direitista Partido Nacional (PN), Lacalle Pou, de 46 anos e advogado, foi eleito em novembro liderou a coalizão que tirou do poder a esquerdista Frente Ampla, após 15 anos liderando o país.

O novo presidente negociou, por semanas, a composição do gabinete com parceiros e destacou a “interação de homens e mulheres de diferentes partidos políticos” para alcançar um “governo de ação”. “Os uruguaios exigem a ação de seus governantes”, declarou, acrescentando que a "ação" será um dos principais objetivos de seu governo.

Para Entender

Perfil: Lacalle Pou, herdeiro de um clã de políticos tradicionais

O candidato do Partido Nacional busca a presidência do Uruguai pela segunda vez

O chefe recém-eleito prometeu o máximo possível de informações aos cidadãos e ratificou que promoverá auditorias nas principais distribuições do Estado, com o objetivo de apresentar um relatório sobre “o estado do país” aos uruguaios antes de assumir.

“O governo que está de saída omitirá algumas medidas e promoverá outras que, de alguma forma, alteram a composição econômica dos próximos anos”, comentou Lacalle Pou sobre a transição governamental, que tem sido formalmente tranquila, mas também ríspida dada a divergência ideológica entre quem entra e sai, particularmente no plano fiscal.

Entre os ministros de Lacalle Pou estão o ex-candidato à presidência do Partido Colorado, o liberal Ernesto Talvi, que será chanceler, e a economista Azucena Arbeleche, que assumirá as rédeas da economia em meio ao aumento do desemprego, fechamento de empresas e déficit fiscal persistente de quase 5% do PIB.

O senador Jorge Larrañaga (PN), que promoveu uma reforma de segurança que endureceu as penas contra o crime - um projeto rejeitado nas urnas -, será ministro do interior e enfrentará uma taxa crescente de homicídios, que em 2018 subiu 45% - nível recorde para o país sul-americano. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.