Ladrão de identidade assume culpa em fraude de US$ 50 mi

O técnico de informática que, segundo os promotores, viabilizou oi maior caso de roubo de identidades da história dos Estados Unidos, com prejuízos que superam os US$ 50 milhões, declarou-se culpado de conspiração num esquema que se apropriou dos dados pessoais de dezenas de milhares de pessoas.O acusado, Philip A. Cummings, de 35 anos, disse não ter percebido o tamanho do dano que seus cúmplices causavam com a informação obtida por ele. "Não sabia da magnitude", disse Cummings ao juiz, admitindo, porém, saber que seus atos eram imorais e ilegais.Cummings trabalhou entre 1999 e 2000 no serviço de atendimento ao cliente da Teledata Communications Inc., uma empresa de software que fornece a instituições financeiras acesso a bancos de dados sobre crédito.A acusação diz que Cummings concordou em vender a um cúmplice não identificado as senhas e códigos que permitiam baixar relatórios sobre os dados de crédito de consumidores. Dezenas de milhares desses relatórios foram roubados. Segundo os documentos do caso, Cummings recebeu US$ 30 por relatório. A informação então foi passada a uma rede nacional de criminosos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.